SEGMENTAÇÃO DE MERCADO – PARTE 2.

Tempo de leitura: 3 minutos

No último artigo sobre segmentação de mercado (clique aqui para ler) nós abordamos a parte teórica do assunto, demonstrando qual a definição do termo, suas características e como funciona a tal da segmentação.

Ao longo dos dias, recebemos então uma série de perguntas questionando a funcionalidade da segmentação de mercado em diferentes clientes e se era viável ou vantajoso realizar um processo trabalhoso como é a segmentação.

Sendo assim, vamos neste artigo levantar algumas dúvidas que foram enviadas e responde-las a fim de esclarecer os pontos. Vamos ao tema!

Segmentação como redução de custos, não como aumento!

Várias perguntas recebidas se deram com o fato de que, caso a empresa deseje implementar um processo de segmentação, esta deve contratar uma empresa terceirizada especialista no assunto, o que envolve gastos.

E mesmo que a empresa deseje realizar por conta própria, envolve tempo e a alocação de funcionários para tal tarefa.

Devemos nos atentar, entretanto, que o estudo de segmentação de mercado lhe dará uma visão muito mais precisa de que tipo de produto você deve vender, em qual região, para quem e como vender.




 

Basicamente, um estudo de segmentação de mercado responde as questões levantadas na teoria dos 4Ps.

Digamos que você abra uma loja de vestuário em um shopping sem ter muita ideia de que tipo de público frequenta este shopping e sem segmentar os produtos que você venderá em sua loja.

Colocar diversos tipos de roupas à venda, um pouco de cada tipo, certamente o levará à falência, afinal mesmo que você acerte um percentual de 50% do público do shopping (o que seria uma grande sorte), os outros 50% que você errou se transformariam em estoque parado e consequentemente em prejuízo.

Os riscos de abrir uma loja sem estudos, como no nosso exemplo, poderiam ser:

  • Sua loja possuir produtos caros demais para o público do shopping que em média é da classe C e D.

 

  • Sua loja possuir produtos baratos demais para as classes A e B, as quais podem dar um rótulo de baixa qualidade para o produto.

 

  • O seu público não frequentar o shopping em que você abriu a loja.

Estes são apenas três exemplos de uma infinidade de problemas que podem ocorrer caso o empreendedor tente abrir um negócio sem preparo.

Nesses casos a empresa tende a ter constantes prejuízos e não conseguir se sustentar por muito tempo.

Então aquele custo inicial que o empreendedor não quis ter antes de abrir uma loja tornou-se um prejuízo onde ele perdeu todo o dinheiro investido, podendo estar agora em pior situação com dívidas bancárias e comerciais.

Sendo assim, é sempre importante realizar um estudo prévio da viabilidade da abertura de um novo empreendimento a fim de mensurar se é possível ou não lucrar com a empreitada.




 

Se posicionando para se destacar.

Umas das maiores vantagens do posicionamento em um setor específico, caso sua empresa seja de qualidade (é claro), é que ela receberá destaque em determinada área.

Quando pensamos em uma empresa de tecnologia inovadora e de excelência em smartphones em quem automaticamente pensamos? Com certeza na Apple ou na Samsung.

Mas porque pensamos nelas? Simples… ao decidir trabalhar com determinado público alvo, ambas desenvolveram produtos específicos que atendessem a demanda de seus consumidores e investiram em campanhas que os atingissem.

Sendo assim, é de grande valia o posicionamento a fim de cobrir uma determinada demanda no mercado, sendo que ao ser um dos primeiros ou dos melhores do segmento, você certamente se tornará a marca mais reconhecida.

 

Se gostou compartilhe com seus amigos!

Até a próxima!

Deixe uma resposta